Segunda-feira, 19 de Fevereiro de 2007

Da Ocidental praia Lusitana VIII

...no final do dia, ainda andava lunático com a mensagem que a Margarida me tinha enviado.
Estava tentado a enviar-lhe uma sms , quase que numa desesperada tentativa de me aproximar um pouco mais dela...
Entre tanto, surgiu-me a ideia de voltar ao café ao fim do jantar. E assim fiz...
Já a noite tinha caído sobre a praia. O mar ouvia-se bem perto. Parecia que as ondas estavam a morrer junto dos meus pés, que um pouco trémulos, com um pouco de frio misturado com nervosismo e ansiedade , quase não sentiam as pedras da calçada. Estava já perto do café quando, olhei para dentro e verifiquei que aquela noite tina deixado o pequeno café cheio. Espreitei discretamente pela janela e verifiquei que a "minha" Margarida não estava lá. Não entrei. Peguei no telemóvel e caminhei até ao muro da praia e lá sentei-me.
Uma pequena brisa percorria toda a praia no sentido norte/sul... Fiquei triste pela sua ausência; na quela noite não iria, com toda a certeza, ver a Margarida. Numa noite sentida pelo frio e pela tristeza; sentado virado para o mar abri o telemóvel para enviar uma sms , estava convicto de o fazer. Nesse preciso momento ouço passos que se aproximavam. Olhei para trás. Olhei de uma forma tal que parecia que alguém me chamava. À distância vi um casal. Bem agarrados, ou pelo amor ou pelo frio, a verdade é que ao caminharem, eté se trepeçavam um no outro tál era a proximidade de ambos.
Quando chegaram bem perto de mim, vi que era a "minha" Margarida! Os meus olhos tocaram nos dela, baixei a cabeça, ela baixou o olhar... Engoli em seco... voltei a engolir, era seco, não havia nada para descer a garganta, e nada passava... viei-me para norte, para sentir o vento bater-me no rosto como que assim podessem, voltar ao normal... Eles entraram no café. Eu consegui que as minhas glandolas produzissem saliva; consegui engolir...
Levantei-me. Pus os pés no chão e comecei a caminhar em direcção a casa. Estava complectamente inundado pelo escuro da noite. A minha cabeça estava um caos que tantos pensamentos em tão pouco tempo... Já estava bem perto de casa quando um arrepio profundo percorreu todo o meu corpo. Parei. Olhei em toda a volta. Não vi nada nem ninguém; apenas o escuro da noite...
Entrei em casa. Sozinho. Triste. Amargurado. Olhava pela janela e via um sinal luminoso em alto mar. Talvéz um pesqueiro a sár para o mar, pensei... era uma forma de me abstrair da trsiteza que me envolvia. Fiquei ali a olhar pela janela, talvéz, horas. Ouvi o telemóvel vibrar sobre a mesa. Não estava com grande vontade de falar com ninguém. Lá fora a chuva era forte... Tinha passado cerca de meia hora desde a primeira vez e o telemóvel , voltou a vibrar. Pensei que era melhor ver o que se passava. Poderia ser alguém a que faço acompanhamento espiritual...
Peguei-o; abri-o e vi que tinha duas mensagens... Era a Margarida...

sinto-me: Por cá
publicado por daocidentalpraialusitana às 14:08
link do post | comentar | favorito
|
9 comentários:
De AP a 19 de Fevereiro de 2007 às 19:02
Lindo,

Passo para te deixar um beijo e pedir-te desculpa!
De daocidentalpraialusitana a 19 de Fevereiro de 2007 às 23:18
Olá minha amiga!

Não tens que te desculpar...
Obrigado pela lembrança!

Beijinho, daqui, daocidentalpraialusitana
Sê feliz e faz alguém feliz...
De Hope a 21 de Fevereiro de 2007 às 13:06
Ninguém está só nas suas atribulações – existe sempre mais alguém a pensar, a alegrar-se ou a sofrer da mesma maneira, e isso dá-nos força para encarar melhor o desafio que temos diante de nós... se precisares de mim, ja sabes, tou por cá...
jinho...
De daocidentalpraialusitana a 22 de Fevereiro de 2007 às 11:53
Olá Hope.

Espero que estejas bem...
Beijos...
daocidentalpraiolusitana
De ... a 23 de Fevereiro de 2007 às 02:12
Olá Fofinho!
...as tuas palavras...a Margarida magoou-te??...
De daocidentalpraialusitana a 23 de Fevereiro de 2007 às 11:39
Olá Linda!

Não, a Margarida não me magoou...

Ela é única e só pr isso, já vale a pena tudo ou o nada...
Beijnhos, muitos, para ti
daocidentalpraialusitana
De ... a 24 de Fevereiro de 2007 às 11:03
......
De AP a 23 de Fevereiro de 2007 às 12:08
Como me dizes a mim,

"desgostos de Amor, quem os não tem?!".

Olha lindo, são momentos menos bons que não podem transformar-se em momentos decisivos para desistir. Se gostas, luta.

Sei serás padre, não sei. Nem eu nem tu o sabe. Estás na hora de perceber o caminho certo para ti, mas lindo, que a Margarida mexe contigo, disso não tenho qualquer sombra de dúvida.

A ansiedade da troca de olhares...a ansiedade de uma sms...a ansiedade desse coraçãozinho lindo...não me deixam grandes dúvidas.

Vive um dia de cada vez. Jinho grande desta "praia" distante.
De daocidentalpraialusitana a 26 de Fevereiro de 2007 às 12:25
Olá amiga!

Essa é sem a menor duvida, a minha grande máxima: um dia de cada vez!
Só assim somos capazes de observar, discernir, e decidir com toda a clareza.

Deixo-te um grande beijo, daqui, daocidentalpraialusitana.

Sê feliz no ceio daqueles que te amam...

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Da Ocidental praia Lusita...

. Da Ocidental Praia Lusita...

. Da Ocidental praia Lusita...

. Da Ocidental praia Lusita...

. Da Ocidental praia Lusita...

. Da Ocidental praia Lusita...

. Da Ocidental praia Lusita...

. Da Ocidental praia Lusita...

. Da Ocidental praia Lusita...

. Da Ocidental praia Lusita...

.arquivos

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Outubro 2006

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds